quinta-feira, 15 de abril de 2010

Resumo do primeiro capitulo do livro Homoludens "o jogo como elemento da cultura"


Johan Huizinga escreveu Homo Ludens em 1938, o que eu entendi que é interessante observar a repercussão e importância de sua obra, que ainda hoje é referência a muitos, seja tratando do jogo, que conceitualmente não diverge de brincadeira, seja tratando do lúdico, que no livro é exposto em várias formas de manifestações culturais.





Sua obra é digna de reconhecimento, independentemente disso, ao que tudo indica, pois seja qual for a época, cultura ou classe social, os jogos e os brinquedos fazem parte da vida da criança, pois elas vivem num mundo de fantasia, de encantamento, de alegria, de sonhos, onde realidade e faz-de-conta se confundem.

huizinga diz que o jogo já faz parti da vida bem antes das civilização de hoje bem antes mesmo porque o jogo é tão essencial quando o raciocínio humano, o que o huizinga passa para o leitor é que o jogo tem diversas características, assim como O lúdico desempenha um papel fundamental no aprendizado. Mas, não é o único componente do jogo existem outras formas de representações como a competição e passatempo, contudo, independentemente de isso ser bom ou ruim, o que deve ser visto no jogo são seus aspectos criadores e não os negativos. Assim, buscar-se eliminar quaisquer vestígios de banalização e vulgarização da existência, vendo no jogo a possibilidade do exercício da criatividade humana.

Por mais difícil à compreensão do homo ludens é que o jogo faz parti do nosso cotidiano. Isso que o Johan huizinga passa que deste da nossa infância até os dias de hoje o jogo estar presente em nossas vidas assim passando em gerações e gerações...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário